quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Mulher Coragem


Descobri hoje que conheço uma mulher de coragem. Nossa como fiquei feliz com essa constatação. Só tinha notícias de mulheres assim, destemidas e que lutam pelo que desejam, através dos livros de história. E hoje soube em primeira mão que uma dessas mulheres saiu dos livros e das memórias e tomou forma como amiga há uns bons meses, já. Mas que permanecia ali, à disposição. Só esperando um aceno para entrar em cena. Acho que a hora chegou. Uma das amigas mais queridas. Daquelas que só com o olhar consola e entende. Aquela amiga que sabe o que te vai na alma, anseia em te ajudar, mas nada força, nada invade. Apenas olha e entende. Olha e conforta. Essa amiga é aquela mulher de há pouco, mulher que não teme o porvir e faz a escolha certa para seu coração incerto. Nada sabe sobre seu futuro, mas nem por isso deixa de anciá-lo. Seus temores são sobre o que pode deixar de fazer e nunca sobre o que faz. Enfrenta a vida de peito aberto e alma limpa. À espera, mas nunca na inércia. Se reinventa constantemente sem ao menos levantar em um único tom, a sua voz. Tem o olhar plácido e cheio de esperança. Seu sorriso cativa e alenta. Sem notar, consola mais do que é consolada. Sua coragem desperta no outro o desejo de mudança e gana de viver. Agora acho que não tem mais volta. Que sensação boa. Reconfortante. Olhar e sorriso de menina, mas força e garra de mulher. Deve chorar, com certeza. Mas chora lágrimas de redenção e esperança. Mulher notável. Mulher coragem. Mulher guerreira. Mulher.
Amiga.


Por Mônica Innocêncio Ribeiro

Um comentário:

Danielle disse...

Amei este texto!!!!!!
Sua cara e um pouco a minha também, eu acho!
Bjks